A parceria necessária entre os ODS e o ESG

Alistair Berg/Getty Images

ESG refere-se às condutas de um fundo, de uma empresa, práticas mais internas. Por outro lado, os 17 ODS estabelecidos pela ONU, extrapolam as práticas internas de cada fundo ou empresa, são compromissos com visão macro.

Ao adotar práticas de ESG, cria-se maior inclinação para também contribuir com os ODS. Dados da Ernest Young, multinacional de serviços profissionais da Inglaterra, indicam que os critérios ESG devem buscar alinhamento aos ODS, realidade de grandes discussões no mercado de capitais.

Afinal, ambos tratam de uma abordagem sustentável e inclusiva para o crescimento econômico e a geração de bem-estar.

O momento da atual pandemia aponta um movimento acelerado da comunidade global na direção de cumprir os ODS. O alinhamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e uma boa avaliação de ESG (environmental, social and corporate governance) podem ser diferenciais determinantes de uma empresa na hora da escolha realizada por um investidor, definição de contratação de um eventual fornecedor, entre outros benefícios.

“O investimento na formação de jovens e a inserção no mercado de trabalho ajuda não só a resolver o problema do desemprego, como contribui para aumentar a diversidade e a inclusão dentro das empresas, que são boas práticas de ESG.

O mercado valoriza porque uma equipe diversa atua melhor, pensa diferente, surgem novas ideias”, afirma Carlos Henrique Lima, diretor executivo do Instituto Reciclar.

Fonte: Forbes e Instituto Reciclar

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Artigos Relacionados

Menu