Brandeburgo rejeita construção de megafábrica Tesla por danos ambientais

A construção de uma gigantesca fábrica da montadora Tesla enfrenta a resistência de parte da população preocupada com seus recursos hídricos.

“A montadora está localizada em uma zona de proteção de água, e portanto, tem um impacto direto no curso das águas subterrâneas, bem como uma contribuição para a possível entrada de poluentes e o aumento da água salgada. Além disso, a Tesla consome muita água que a região não dispõe” explica Steffen Schorch, chefe de uma associação de moradores e representante local da ONG ambientalista Nabu.

A “gigafábrica”, como é chamada pela empresa californiana, terá uma extensão de 300 hectares, com uma produção de 500 mil veículos elétricos por ano e abrigará “a maior fábrica de baterias do mundo”.

O fabricante americano beneficia de um excepcional procedimento de autorização prévia para as suas obras, que lhe permitiu iniciar as obras antes mesmo de receber a licença de construção.

No entanto, a aprovação final ainda está em estudo, já que as autoridades têm que monitorar o impacto ambiental do projeto: se a permissão não for concedida, a Tesla teria, em teoria, que desmontar a instalação às suas próprias custas.

Fonte: Euronews

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Mais lidas

Artigos Relacionados

Menu