Norte-americanos negros tem mais chances de morrer de Covid-19 do que brancos

O racismo estrutural está afetando pacientes negros no tratamento do Covid-19 nos EUA. O estudo recente publicado pela JAMA Network Open destacou as desigualdades de saúde generalizadas e duradouras, que afetam desproporcionalmente os negros nos Estados Unidos.

Estes pacientes tinham 11% mais probabilidade de morrer ou de serem transferidos para unidades de cuidados paliativos em até 30 dias após a admissão no hospital, em comparação aos pacientes brancos quando fatores como idade, condições de saúde pré-existentes e características socioeconômicas são levados em consideração, de acordo com pesquisa.

“Abordar a segregação hospitalar e melhorar a qualidade e recursos dos hospitais que atendem às comunidades negras pode ajudar a resolver a taxa de mortalidade desigual” acrescentaram os pesquisadores. Os pesquisadores sugeriram que “bairros desfavorecidos podem ter finanças piores e prestar atendimento de qualidade inferior”.

Durante a pandemia, os negros têm uma probabilidade desproporcionalmente maior de contrair, serem hospitalizados e morrerem de Covid-19 do que os brancos. Além disso, eles também receberam uma parcela muito menor das vacinas disponíveis, algo muitas vezes atribuído à desconfiança nos imunizantes e na conduta médica alimentada pelo racismo estrutural, com apelos para expandir os cuidados de saúde e o acesso à informação e vacinas para as comunidades negras.

No Brasil, o racismo estrutural também é um fator que efeta a comunidade negra em diversos setores.

Mudar essa cultura preconceituosa em todas as camadas é essencial para alcançarmos uma sociedade mais justa e igualitária.

Fonte: Forbes

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Mais lidas

Artigos Relacionados

Menu