Mercado Mundi

Brasília

O Distrito Federal apresenta uma estrutura produtiva peculiar, estável e em expansão, o que facilita e atrai cada vez mais os olhares dos investidores, com inúmeras vantagens e possibilidades de lucro.

BRASÍLIA, UMA ECONOMIA AQUECIDA

O mercado de consumo em Brasília está entre os maiores do Brasil fora do eixo Rio-São Paulo. Em busca do consumidor de alto padrão, dono da maior renda per capita do país, grandes franquias de conhecidas marcas elegeram a capital federal como destino certo. A Gastronomia entre os primeiros lugares!

2013-05-02-08.31.36_960px

Em 2014, o Distrito Federal passou da oitava para a sétima economia do Brasil, segundo dados compilados pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan). Em 2010, o Produto Interno Bruto (PIB) local foi 3,5% maior do que no ano anterior e em 2011, o crescimento foi de 2,4%. O salto coloca o DF na quinta posição no ranking das economias com melhor taxa de crescimento do país.

O valor de R$ 61.548,00 é quase duas vezes maior do que o de São Paulo, que aparece na segunda colocação.

Os números são promissores e representam a estabilidade e a expansão da economia local, sustentada pela alta renda do funcionalismo público, que representa 55% na massa salarial da capital federal, e pelo movimento dos setores de serviço e comércio, que concentram cerca de 93% da economia.

Os dados indicam que em vinte anos os maiores salários se concentraram no setor público, porém o segmento que mais contratou foi o de serviços, que contrata mais trabalhadores com registro em carteira no DF, principalmente imobiliárias, hotéis, transportes, comunicações, ensino e serviços médicos e odontológicos.

Em relação a negócios na área gastronômica, são estes os fatores que motivam os empreendedores locais a investir na cidade, convidando também empresários do setor de restaurantes e alimentação de outros estados do país.

O que confirma essa tendência é a chegada de grandes firmas gastronômicas brasileiras e internacionais em busca do público da capital. Grupos estrangeiros e locais das mais diversas regiões do país já encontraram em Brasília seu lugar.

O brasiliense é o que mais gasta em supermercados no Brasil. Esse comportamento do consumidor coloca os estabelecimentos locais em primeiro lugar no ranking nacional de ticket médio – valor gasto por compra feita.

Na pesquisa Ranking 2012 realizada pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), o Distrito Federal ocupa a nona posição. As já conhecidas razões ligadas a alta renda do brasiliense e grande estabilidade de pagamento aquecem o consumo, não somente entre as classes mais ricas mas também o poder de consumo das classes D e E, que se expandem com mais velocidade.

Fonte: Anuário do DF.

Pin It on Pinterest

Share This